5 vantagens dos Veículos Híbridos Plug-in

Existem cada vez mais portugueses a seguirem a via da mobilidade sustentável. De acordo com os dados da UVE (Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos), nunca se venderam tantas viaturas 100% elétricas e híbridas como entre janeiro e julho de 2023 ultrapassando mesmo, em alguns meses, o número de vendas dos carros movidos a combustíveis fósseis (diesel e gasolina).

No caso específico dos híbridos plug-in, a associação diz-nos que, no mesmo período de tempo, venderam-se quase 15 mil veículos, um valor que constitui um recorde absoluto.

Estes números levam, naturalmente, a quem ainda não conduz um híbrido plug-in a interrogar-se sobre o que têm este tipo de viaturas de tão especial. A resposta a esta pergunta chega dentro de momentos, venha daí!

O que é um veículo híbrido plug-in?

Um veículo híbrido plug-in (PHEV) é um tipo de viatura que vem equipada com um motor movido a combustível fóssil (gasolina, por norma) e um outro elétrico alimentado por baterias e por aquilo que se denomina de sistema de travagem regenerativa, que vai transformar a energia gerada nas travagens para ajudar ao carregamento da bateria.

Enquanto o motor a gasolina ou diesel entra em ação, sobretudo, em velocidade de cruzeiro ou em longas viagens, o motor elétrico ajuda no arranque e em viagens de curta-média duração (circuito urbano, por exemplo).

Esta gestão é, no entanto, livre e está a cargo do condutor que, na prática, tem à sua disposição dois modos de utilização:

  • Utilizar somente o motor elétrico;
  • Utilizar o modo  híbrido que vai, de forma eficiente e racional, juntar o melhor dos dois motores.

Esta possibilidade de escolher o modo de utilização, acaba por resultar numa condução mais amiga do ambiente, já que a maior racionalidade e eficiência do modo híbrido vai resultar numa redução acentuada das emissões de CO2 e numa melhor relação performance-gasto de combustível.

Ao contrário do que acontece num híbrido convencional, a alimentação das baterias dos carros PHEV (Plug-In Hybrid Electric Vehicle) pode ser realizada através de uma tomada caseira ou nos postos públicos de carregamento elétrico. Para além destas duas fontes de alimentação das baterias, como já referimos, existe também o sistema de travagem regenerativa que, na prática, reaproveita a energia cinética descarregada no momento da travagem, transforma-a em eletricidade e armazena-a na bateria.

São excelentes exemplos de carros híbridos plug-in o SEAT Leon e Leon Sportstourer, dois modelos que podem utilizar apenas o motor a gasolina quando a bateria precisa de ser carregada, e que oferecem autonomia combinada (gasolina e modo elétrico) que pode chegar aos 800 km com uma redução significativa da emissão de CO2. No caso de só se utilizar o motor elétrico, as emissões de gases poluentes baixam para zero.

Para além destas características que se tornam em vantagens para o condutor, estes modelos apresentam um motor elétrico plug-in de 85 kW que, combinado com o motor TSI de 1.4 litros, pode atingir uma potência máxima de 150 kW que lhe garante uma performance em estrada inigualável.

Carros híbridos: Vantagens e Desvantagens de um PHEV

Como já pudemos perceber pelos exemplos dos SEAT Leon e Leon Sportstourer, um híbrido plug-in apresenta assinaláveis vantagens para o condutor e meio ambiente, mas existem mais, como poderá perceber já de seguida.

  • Vantagens de um PHEV

1. Benefícios Fiscais

Na compra de um híbrido plug-in, vai poder usufruir de uma redução no ISV (Imposto Sobre Veículos) de 75%, redução no IUC (Imposto único de Circulação) e ainda dedução do valor do IVA na aquisição.

2. Maior poupança de combustível

A possibilidade de conduzir em modo híbrido resulta numa maior racionalização do gasto de combustível.

3. Redução da emissão de gases poluentes

Quando em modo de utilização 100% elétrico, o híbrido plug-in não emite gases poluentes. Já em modo híbrido ou no modo de combustível fóssil, as emissões serão mais reduzidas do que de um híbrido convencional ou de um tradicional carro com motor a combustível devido a uma melhor gestão e à racionalização do gasto de combustível.

4. Melhor performance

Para além de os arranques serem realizados com recurso exclusivo ao motor elétrico, o que garante um débito imediato e total da potência, a combinação entre o motor elétrico e motor a combustível fóssil permite uma melhor performance em andamento de estrada.

5. Maior autonomia

Tal como vimos para os casos do SEAT Leon e Leon Sportstourer, a motorização híbrida garante-lhe uma autonomia de até 800 km, uma quilometragem muito superior a qualquer híbrido convencional, 100% elétrico ou automóvel a combustão interna.

  • Desvantagens de um PHEV

Tal como acontece com outros tipos de viatura, os híbridos plug-in também apresentam algumas desvantagens, todas elas decorrentes do facto de estarem equipadas com um motor a combustível fóssil.

Como se poderá perceber, a primeira delas é a emissão de gases poluentes que, apesar de ser diminuta, ainda existe.