Como utilizar as luzes de nevoeiro na estrada?

Das pioneiras e rudimentares luzes movidas a candelabros de velas com que os engenheiros equiparam um Panhard em 1898 até aos mais sofisticados faróis Full LED (dianteira e traseira) e a Infinite Light (traseira) que equipa os modelos SEAT Ibiza, Arona, Leon, Leon Sportstourer, Ateca ou Tarraco, muita coisa mudou na forma como iluminamos a estrada que se abre à nossa frente, mesmo nas condições mais adversas.

Tal como outras inovações tecnológicas que vieram trazer uma maior segurança às viaturas do séc. XXI, a evolução da iluminação nos automóveis foi sendo acompanhada de revisões na lei rodoviária.

Hoje em dia, o Código da Estrada elenca um total de oito luzes obrigatórias. Estas são:

- Estrada;

- Presença;

- Nevoeiro;

- Cruzamento;

- Mudança de direção;

- Marcha atrás;

- Travagem;

- Chapas de matrícula.

Depois de em artigos anteriores nos termos debruçado sobre as luzes de estrada, hoje é a vez de colocarmos em primeiro plano as importantes luzes de nevoeiro e a forma de as utilizar corretamente.

 

O que são e como funcionam as Luzes de Nevoeiro?

As luzes de nevoeiro são uma das oito luzes obrigatórias num carro e têm como missão iluminar a parte dianteira e lateral do veículo, bem como assinalar a presença do automóvel aos outros utentes da via em caso de visibilidade reduzida devido ao nevoeiro, neve ou chuva intensa.

Estas luzes dividem-se em faróis de nevoeiro, que são montadas na dianteira do automóvel, e luzes de nevoeiro da retaguarda que, por sua vez, são montadas no para-choques traseiro ou integradas nos farolins traseiros.

No que toca aos faróis de nevoeiro dianteiros, estas luzes emitem feixes de luz com 25 metros de comprimento que acabam por permitir uma melhor iluminação da estrada em condições adversas, dado incidirem na estrada num ângulo mais agudo do que aquilo que acontece, por exemplo, com  luzes de máximos.

Na prática, este ângulo e alcance dos faróis de nevoeiro dianteiros permitem diminuir a dispersão da luz em gotículas de água ou em outras partículas refletoras minimizando, deste modo, o risco de encandeamento e uma condução mais segura sob nevoeiro, neve ou chuva intensa.

 

Quando deve utilizar as luzes de nevoeiro?

Como referimos, as luzes de nevoeiro devem ser ligadas quando o condutor se depara com nevoeiro, chuva ou neve de grande intensidade, bem como quando o automóvel entra numa estrada em que exista fumo ou pó (devido a um incêndio, por exemplo).

Para além disto, os faróis de nevoeiro dianteiros podem ainda ser utilizados em vias com menos de 6,5 metros de largura, de noite ou em zonas onde estejam sinalizadas curvas sucessivas. Contudo, se as ligar nestas condições, tome cuidado para não encandear os outros utentes da estrada.

Por último, lembre-se que não é boa ideia usar os máximos com os faróis de nevoeiro, já que seria contraproducente: a luz seria devolvida e o condutor ficaria ofuscado.

Nota: para sua segurança, quando estiver a conduzir com chuva intensa, ligue as luzes dianteiras e traseiras, enquanto em condições de neve deve ligar os quatro faróis.

 

Como ligar as luzes de nevoeiro?

Para ligar as luzes de nevoeiro do seu automóvel, procure um pictograma com um semicírculo (representa o farol) e três retas paralelas (representam os feixes de luz) que intersetam obliquamente uma linha ondulada vertical (representa o nevoeiro). Quando se encontram ligadas, o símbolo das luzes de nevoeiro fica verde no painel de instrumentos.

Por norma, o condutor terá de ligar as luzes de nevoeiro manualmente através do interruptor com o pictograma de que falamos, que se encontra geralmente numa alavanca que se situa do lado esquerdo imediatamente abaixo do painel de instrumentos.

Nota: se estiver com dificuldades em encontrar o interruptor das luzes de nevoeiro, consulte o manual do automóvel.

 

Coimas por ausência e utilização incorreta das luzes de nevoeiro

Tal como acontece com as outras luzes obrigatórias por lei, a ausência de luzes de nevoeiro no seu automóvel pode valer-lhe uma coima entre os 60 e os 120 euros.

Da mesma forma, quando utiliza as luzes de nevoeiro em situações que não estão previstas por lei, incorre no pagamento de uma coima de 60 euros. Além destas coimas, se a instalação das luzes de nevoeiro for defeituosa, o condutor incorre numa coima de 60 a 300 euros.

Para que isto não aconteça, procure fazer manutenções com frequência tomando particular atenção a potenciais danos na lâmpada. Caso seja necessário, substitua a lâmpada.

No caso particular das lâmpadas, essenciais ao bom funcionamento dos faróis de nevoeiro, existem dois tipos recomendados: LED e halogéneo.