Partilhar

Martorell, 13/04/2016. - “Este material parece-me mais suave. O toque é bem mais agradável do que o primeiro” afirma Sara, que está a participar numa prova cega conduzida por Raúl Funes, um engenheiro do departamento Háptico da SEAT (interação que envolve o toque e o sentido do tato). O grupo de profissionais na SEAT dedicam-se a estudar e aperfeiçoar as sensações sentidas pelos utilizadores quando tocam nos elementos interiores de um carro.


O trabalho desenvolvido pelo Raúl e a sua equipa envolvem o “mundo material” e a perceção dos sentidos, nomeadamente o sentido do tato. Embora pareça algo subjetivo e de difícil medição, na realidade tudo é perfeitamente avaliado: “Trabalhamos mais de três anos antes de um carro ficar disponível no mercado”, explica Raúl. De forma a aumentar a objetividade das opiniões sensoriais, efetuamos todos os anos mais de 150 provas cegas em peças dos carros: “vendamos a pessoa que está a efetuar o teste para que se concentre unicamente nos inputs táteis. Este é um exemplo de como analisamos e medimos o deslizamento e consistência de certos materiais.”.

E qual é o objetivo de todos estes testes? Proporcionar a sensação de autêntica qualidade através do tato. “Todos os botões têm de dar a mesma sensação de consistência. Os resultados do nosso trabalho podem ser sentidos nos pequenos detalhes e na perceção geral dada pelo carro”.


A tecnologia háptica está em constante evolução e também se adapta às tecnologias do futuro. Hoje em dia a tendência é para os botões individuais desaparecem uma vez que os ecrãs táteis estão a ganhar popularidade. Neste sentido, o departamento do Raúl está focado em definir a quantidade de pressão que os clientes têm de aplicar no ecrã ou em garantir que o layout de todos os elementos é consistente com os movimentos naturais do corpo. Igualmente, outra área trabalhada pelo departamento háptico é a definição de espaços para objetos que os condutores geralmente utilizam como por exemplo um telefone, chapéu-de-chuva ou portátil. O objetivo é criar um espaço lógico e prático para guardar itens, dar uma organização espacial ao interior do carro e garantir funcionalidade.

Alcançar o toque perfeito que um carro deve ter para os seus clientes é realmente um “trabalho único”, diz Raúl. Tanto que, sempre que ele explica o que faz, perguntam-lhe: “as pessoas realmente escrutinam todos os detalhes num carro?”