Partilhar

Martorell, 16/03/16. – A SEAT deu um passo gigante no último ano na direção da sustentabilidade rentável. A empresa encerrou 2015 com um lucro depois de impostos de 6 milhões de euros, face aos prejuízos de 66 milhões de euros em 2014. O aumento nas vendas e uma gama de produtos com maior margem estão na base da mudança. A SEAT teve uma faturação de 8.332 milhões de euros, 11 % mais do que no ano anterior. Os Resultados 2015 foram os melhores de sempre da empresa e o dobro do valor em comparação com 2009. O lucro médio por veículo cresceu 3,5%.

“Os ganhos da SEAT em 2015 foram duplos – não só alcançámos o primeiro resultado positivo desde 2008, como esse resultado foi alcançado em ano de enormes desafios. Estamos a implementar a estratégia que nos permitirá alcançar e manter uma rentabilidade duradoura. Temos pela frente um futuro brilhante, graças ao lançamento de novos produtos e à integração de novas tecnologias nas áreas da mobilidade e da conetividade”, assegurou Luca de Meo, Presidente Executivo da SEAT, no decurso da apresentação dos Resultados de 2015.

O crescimento das vendas pelo terceiro ano consecutivo, atingindo a barreira das 400.000 unidades entregues num único ano, é resultado da recuperação de alguns mercados europeus como Espanha e Itália, reforçado com o crescimento pelo quinto ano consecutivo na Alemanha, o maior mercado da SEAT, e também com o sucesso da marca no México.

O crescimento estável nas vendas do Leon e do Ibiza, com as vendas de 2015 a totalizarem 160.900 (+4.4%) e 153.600 (+2.4%) unidades, respetivamente, o forte crescimento do Alhambra (+17.2%) e o sucesso do Audi Q3 foram fundamentais para o aumento do volume de vendas e do volume de faturação da SEAT, que aumentou nestes seis anos seguidos.

A solidez do negócio permitiu à SEAT responder com um aumento no investimento na publicidade e no marketing, ações que reforçaram a familiaridade com a marca; aumentar os gastos com o pessoal através do reforço das remunerações e um considerável aumento no investimento e na expansão de I&D para o lançamento de novos modelos, incluindo as alterações na Linha 1 da fábrica de Martorell para receber a nova plataforma MQB A0. Em 2015 a SEAT gastou  586 milhões de euros em investimentos e na área de I&D, 28% mais do que no ano anterior. Nos últimos cinco anos, os gastos da SEAT nesta área atingiram, por alto, os 2.700 milhões de euros.

Ainda assim, o resultado 2015 operacional melhorou em  96 % alcançando os  -7 milhões de euros, contrastantes com os  -167 de há um ano (*).

A SEAT melhorou a sua capacidade de gerar lucros através da atividade principal. A empresa melhorou o seu EBIDTA (lucros antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) em 30%, alcançando os 391 milhões de euros e melhorando a faturação em quase 50% para  781 milhões de euros. O Vice-Presidente  Financeiro, para o IT e Organização, Holger Kintscher salientou que  “A SEAT continua a melhorar a sua capacidade de autofinanciamento na consolidação dos investimentos do ponto de vista financeiro. Depois de vários anos de melhorias sucessivas o ano passado foi marcante no caminho do lucro sustentável”.


Emprego SEAT
O aumento nas vendas e na produção permitiu a criação de 350 novos postos de trabalho em todo o Grupo SEAT, incluindo 100 engenheiros para o Centro Técnico, que celebrou o seu 40º aniversário no ano passado, bem como a entrada de 48 jovens graduados provenientes da escola de formação profissional da empresa. No total, a SEAT aplicou, no último ano, 14 milhões de euros nos programas de formação dos seus funcionários.

Futuro SEAT
A SEAT espera prolongar o seu crescimento em 2016. Em destaque, este ano, está o lançamento do Ateca, o primeiro SUV da marca, recentemente apresentado no Salão Automóvel de Genebra. O novo modelo foi integralmente desenvolvido no Centro Técnico SEAT e será comercializado a partir do verão.

O Ateca marca apenas o início da maior e mais ambiciosa ofensiva de produtos na história da SEAT. O construtor intensificará a sua aposta no segmento dos SUV e em 2017 acrescentará um novo modelo à gama com o lançamento de um pequeno crossover desenvolvido e fabricado em Martorell. “Estas são excelentes notícias para a marca e para a nossa fábrica principal uma vez que falamos do segmento com maior crescimento e o reforço na estratégia de criar um terceiro pilar na empresa, a par da família Ibiza e Leon”, sublinha Luca de Meo.

A empresa quer ser uma referência na indústria automóvel na área da conetividade tendo por isso firmado parcerias estratégicas com líderes tecnológicos como a gigante Samsung ou a SAP, referência mundial no negócio das aplicações e de redes na Internet das Coisas (IoT).

A empresa está a avançar no nível de conetividade automóvel. A SEAT está comprometida e focada em desenvolver e equipar os seus modelos com a mais recente tecnologia de conetividade, garantindo a maior segurança dos condutores e dos seus dados. Neste sentido, as versões SEAT CONNECT estão nas estradas europeias desde o verão de 2015, data de lançamento do novo Ibiza. A versão CONNECT está disponível em toda a gama SEAT e representa, desde o seu lançamento em junho de 2015, 15% das vendas.

O futuro exigirá excelentes níveis de conetividade e a SEAT tenciona estar na vanguarda desta tecnologia. A presença da marca no Mobile World Congress pelo segundo ano consecutivo, juntamente com a Samsung, a SAP e a Accenture, é uma prova evidente do compromisso com a conetividade.

(*) A SEAT prepara as suas declarações financeiras de acordo com o Plano de Contas Geral Espanhol, sem incluir as suas subsidiárias. O Grupo Volkswagen aplica as normas internacionais de contabilidade (IAS/IFRS) e consolida os números da marca SEAT.

 


A SEAT é a única companhia no seu sector com a capacidade total de desenhar, desenvolver, fabricar e comercializar automóveis, em Espanha. Membro do Grupo Volkswagen, a multinacional tem a sua sede em Martorell, Barcelona, exportando mais de 80% dos seus veículos, estando presente em mais de 75 países. Em 2015, a SEAT alcançou um volume de negócio de mais de 8.300 milhões de euros, o mais elevado da sua história, e vendas mundiais de mais de 400.000 unidades, valor mais elevado desde 2007.

O Grupo SEAT emprega 14,000 profissionais nos seus três centros de produção: em Barcelona, El Prat de Llobregat e Martorell, onde fabrica, entre outros, os tão bem sucedidos modelos Ibiza e Leon. Adicionalmente, a companhia produz o modelo Alhambra em Palmela (Portugal), o Mii em Bratislava (Eslováquia) e o Toledo em Mladá Boleslav (República Checa).

A multinacional espanhola tem um Centro Técnico que em 2015 celebrou o seu 40º aniversário e que se configura como um “núcleo de conhecimento” que integra cerca de 1000 engenheiros que têm como objetivo contribuírem como força impulsionadora de inovação, do maior investidor industrial em I&D de Espanha. Em linha com o seu compromisso declarado na proteção ambiental, a SEAT baseia a sua atividade central na sustentabilidade, nomeadamente na redução de emissão de CO2 e eficiência energética.