A SEAT foi reconhecida como líder na transformação digital segundo o ranking elaborado pelo prestigiado diário britânico Financial Times. Este meio, em conjunto com a Google, Nesta e a The Innovation Foundation, selecionou 100 organizações, pessoas e empresas, entre 4.000 candidaturas recebidas, que estão a liderar a transformação digital na Europa, fator chave no crescimento económico, criação de emprego e abertura de novos mercados. O Financial Times destaca o processo de transição que a empresa está a levar a cabo na sua fábrica de Martorell para enfrentar os desafios da digitalização nos processos de produção.

Relatório Financial Times selecionou 100 empresas europeias líderes no âmbito da digitalização.

Luca de Meo, presidente da SEAT, afirmou: “A digitalização é uma prioridade estratégica. A SEAT é uma das empresas que mais investe na investigação e desenvolvimento em Espanha, e centrou os seus esforços no desenvolvimento de novas tecnologias para impulsionar a transformação digital na sua fábrica, diversificando o negócio. Estamos a trabalhar para nos convertermos numa referência da mobilidade do futuro. Termos sido selecionados entre as 100 empresas europeias líderes na transformação digital pelo Financial Times é um grande reconhecimento da empresa e de toda a equipa”.

Indústria 4.0, chave na digitalização da SEAT

A SEAT está a impulsionar um ambicioso processo de transformação para o qual está a adaptar toda a sua atividade produtiva à volta do digital com as tecnologias mais disruptivas do mercado. A empresa automóvel espanhola está a desenvolver-se e a aplicar ferramentas e soluções digitais destinadas à produção de automóveis que permitam à empresa ser mais eficiente, flexível e ágil. Por exemplo, ampliando a inteligência artificial, o uso de robots colaborativos, assim como a realidade virtual e o sistema big data na fábrica de Martorell, para revolucionar a produção e o design de veículos.

Nesta evolução, a SEAT conta com um laboratório de biomecânica que se destaca pela sua dedicação ao desenvolvimento de estações de trabalho mais ergonómicas. O laboratório é único com as suas características em Espanha, uma vez que dispõe de mais de 20 câmaras que processam em 3D as características músculo-esqueléticas dos trabalhadores para prevenir patologias resultantes do processo produtivo, ajudando a uma melhor reabilitação em caso de lesão. Além disso, a SEAT colocou em marcha programas de formação que se baseiam num método inovador que explica a transformação industrial de uma forma fácil, interativa e digital. Desde o início do programa, passaram pelas aulas mais de 2.500 empregados.

Desenhando a mobilidade do futuro

No enquadramento da estratégia Easy Mobility, o objetivo da SEAT é o de construir um portfólio de produtos e serviços para oferecer aos clientes novas soluções de mobilidade urbana. Neste sentido, em 2017, a SEAT criou a Metropolis:Lab Barcelona, um centro de excelência dedicado a investigar e a desenvolver soluções de mobilidade urbana e que está integrado na rede de IT-Labs do Grupo Volkswagen. Este ano, a companhia lançou o XMOBA para testar e comercializar serviços de mobilidade, e adquiriu a Respiro, uma empresa de carsharing à hora, pioneira em Espanha.

Na semana passada, a SEAT apresentou, no Smart City Expo World Congress, as últimas novidades que contribuíram para impulsionar a transição para uma mobilidade mais sustentável e inteligente. As iniciativas desenvolvidas pelo SEAT Metropolis:Lab são o ride-sharing e o Bus on Demand, que o XMOBA implementará como prova-piloto durante 2019. Outras novidades foram a evolução do concept SEAT Cristobal, com tecnologia 5G; o novo projeto de navegação socialmente responsável desenvolvido em conjunto com a Waze e o Município de Barcelona; e o primeiro veículo da marca na sua estratégia de micromobilidade urbana, a SEAT eXS powered by Segway.