Partilhar

Martorell, 17/06/2016. – “Tal como Charlie na fábrica da SEAT”. Esta é a forma como a mãe de Jasper descreve a experiência do seu filho de 7 anos de idade durante a sua visita à sede central da SEAT em Martorell para conhecer em primeira mão como são desenhados e produzidos os carros SEAT pelos quais é tão fascinado.

Desde que entendeu que o carro da sua família era um SEAT, Jasper dedicou-se a estudar todas as brochuras de cada modelo disponível, e apesar da sua tenra idade, foi conseguindo descobrir todas as características, performance e tecnologia de todos os modelos SEAT. Perante o fascínio do seu filho, a mãe Karen Cowan decidiu contactar a SEAT para pedir uma visita ao showroom da empresa, perto de sua casa, em Inglaterra.


Para sua surpresa, recebeu uma chamada da SEAT, convidando-os a visitar a sede da empresa em Martorell, na periferia de Barcelona. “Nós não queríamos acreditar!”, confessa Karen, que continua emocionada. E foi desta forma que a família Cowan embarcou nesta viagem para Barcelona, e a fábrica SEAT de Martorell se torna para Jasper, numa caixa de surpresas.

Uma equipa de designers aguardava a chegada da criança e da sua família na entrada principal do Centro de Design. À chegada, Jasper corre em direção à equipa e cumprimenta-os perguntando: “São vocês as pessoas que criaram os modelos Alhambra e Leon?” Uma vez dentro do Centro de Design, Tony Gallardo, um dos designers, explica o processo seguido pela equipa para criar um carro. Jasper para em frente a um modelo de tamanho real, feito de argila: “Porque é que está feito com este material?” pergunta o menino, surpreendido, enquanto percorre o carro com as suas mãos. “É deste modo que sabemos as dimensões reais e podemos fazer modificações ao veículo, se necessário.”, responde Tony.


Do outro lado do Centro Técnico, na área de Carroçarias, Jasper observa com entusiasmo mais de 2.000 robots responsáveis por unir as peças dos automóveis. “Jasper, vê como estes robots giram!” exclama Karen. “Uau, isto é incrível!” responde Jasper enquanto observa boquiaberto toda a tecnologia à sua volta. “Fiquei muito surpreendido com o nível de perguntas que nos fez”, confessa Javier Rivera, responsável pela área de Carroçarias.

“Esta experiência fez-me acreditar que o mundo se pode tornar um lugar mais amigável, educado e receptivo para com as pessoas que possuam dificuldades mais ou menos visíveis”, diz Karen. Como se tivesse saído de um fantástico parque de atrações, ou como diria a mãe de Jasper, da famosa fábrica de chocolate popularizada pelo fime de Tim Burton, Jasper admite que “nunca vou esquecer este dia em toda a minha vida”.