Partilhar

Martorell, 10/06/2016. – 1.400 dias, mais de 1.000 esboços, 5.000 quilos de argila e 1.000 litros de tinta. Estes são alguns dos números que protagonizam o processo de design automóvel na criação de um novo modelo. Este processo de 4 anos começa com o trabalho artesanal, usando lápis e papel, e termina com um carro finalizado na linha de produção. Durante o processo é produzido um modelo em argila de tamanho real do veículo, são criadas novas cores e texturas e é definido o interior do novo carro.

1. Briefing. No começo, as linhas mestras do carro são esboçadas e aprovadas. Estas servem de guia para a definição do ADN do carro, pelo que todo o processo deverá seguir essas indicações.

2. Esboços. Os designers podem agora começar a desenhar esboços preliminares do novo carro. As primeiras versões refletem “aquilo que gostaríamos que fosse”, refere Jaume Sala, responsável de design de Interiores da SEAT, terminando com uma imagem perfeita” do novo veículo. Durante 4 anos são desenhados mais de 1.000 esboços.

3. Criação do design automóvel, assistido por computador. Depois dos esboços serem criados, estes são recriados digitalmente para dar volume ao futuro veículo. Este documento não serve apenas de auxiliar ao design do carro, como também para a sua monitorização técnica.

4. Modelo em argila. Este modelo de design em tamanho real pesa 4 toneladas, duas vezes mais do que o peso de um carro convencional. Este modelo serve para recriar fisicamente o design exterior, que é constantemente moldado para acomodar as várias modificações. Este processo também envolve o trabalho manual de um artesão que vai moldando e polindo o modelo à mão.

5. Modelo estático. Este é o design exterior aprovado pela empresa. Aparenta ser totalmente real, ainda que seja apenas um modelo em argila. Mais de 5.000 quilos de argila podem ser usados durante todo o processo.  

6. Criação das cores. O departamento de Color&Trim é responsável pela criação das cores utilizadas no interior e exterior do novo modelo. O seu trabalho começa dois anos antes, através da recolha de ideias “das áreas da moda, arquitetura ou design de produtoexplica Jordi Font, responsável por este departamento da SEAT. Ainda que sejam realizadas 100 formulações e se utilizem 1.000 litros de tinta, no fim, apenas 12 tons de cor chegarão à tabela de cores exteriores do automóvel.

7. Bancos. Aspetos como “conforto e boa aparência” são cuidadosamente considerados durante o desenvolvimento dos bancos do carro, assegura Jaume Sala. O departamento Color&Trim é igualmente envolvido nesta parte do processo; é utilizada uma máquina de costura para preparar padrões “que combinem as mais adequadas cores e tecidos” diz Jordi Font.

8. Design interior. “Tudo é orientado para o condutor”, sublinha Sala, que explica também que o ecrã táctil é tão importante que primeiro decide-se a sua localização, tornando o resto secundário. O design do interior é especialmente orientado para a funcionalidade. “Perguntamo-nos onde será mais conveniente guardar o telemóvel, os óculos ou a garrafa de água. Por este motivo, o design deve ser útil e eficiente”.

O resultado final de todos estes processos em simultâneo é um novo modelo. Após 4 anos de intenso trabalho, a equipa de design automóvel SEAT inicia um novo projeto.