pt:Company:News & Events:Cars:Annual Press Conference 2021.7.0 PT/PT

SEAT S.A. vai lançar um veículo elétrico urbano em 2025

A SEAT S.A. anunciou hoje que vai lançar no mercado um veículo elétrico urbano em 2025. Com este automóvel, a empresa entrará num segmento de cerca de 20-25.000 euros, essencial para tornar a mobilidade sustentável acessível à população de forma massiva e para alcançar os objetivos do Green Deal. A unidade de produção onde este veículo será fabricado será anunciada nos próximos meses.

Na Apresentação de Resultados Anuais de 2021, a empresa espanhola apresentou um ambicioso plano, denominado de Future Fast Forward, cujo objetivo é liderar a eletrificação da indústria automóvel em Espanha. O principal motor deste plano é a produção de veículos elétricos urbanos em Espanha a partir de 2025.

O presidente da SEAT S.A., Wayne Griffiths, explicou que “queremos fabricar veículos elétricos em Espanha a partir de 2025. A nossa intenção é produzir mais de 500.000 automóveis elétricos urbanos por ano em Martorell também para o Grupo Volkswagen, mas precisamos de um compromisso claro por parte da Comissão Europeia”.

O objetivo é produzir mais de 500.000 veículos elétricos urbanos na fábrica de Martorell

A SEAT S.A. ambiciona não só produzir veículos elétricos, mas também liderar o desenvolvimento de todo o projeto do Grupo Volkswagen. "O nosso plano é transformar o nosso Centro Técnico, o único no sul da Europa e um ativo essencial de I+D para a região", disse Wayne Griffiths. “Acreditamos que é parte de nossa responsabilidade eletrificar todo o país. Há 70 anos colocámos este país sobre rodas. O nosso objetivo agora é colocar o país sobre rodas elétricas”.

O veículo elétrico urbano é um grande projeto em termos de volume potencial. Representa um marco importante no caminho da sustentabilidade e da luta contra as alterações climáticas e pretende ser o motor da transformação da indústria automóvel espanhola.

“Elaborámos o plano, temos os parceiros certos e, de um modo geral, estamos prontos para investir. Este projeto pretende ser o motor da transformação da indústria automóvel espanhola. É necessário o apoio do Governo espanhol e da Comissão Europeia neste plano transversal e nacional, para que o Grupo Volkswagen possa tomar a decisão final sobre a sua execução”, sublinhou Wayne Griffiths.

Sendo o segundo maior produtor de automóveis da Europa, Espanha tem uma grande responsabilidade na concretização dos objetivos do Green Deal em 2030. Para tal, o projeto inclui a criação de um ecossistema de veículos elétricos, estimulando a procura e desenvolvendo infraestruturas de carregamento público. O próximo passo seria a localização da cadeia de valor do veículo elétrico, começando pelo ecossistema das baterias elétricas.

O Futuro Fast Forward serviria como uma força motriz para a criação de empregos, especialmente para os mais jovens. O projeto inclui a SEAT S.A., bem como governos, centros de tecnologia e grandes, médias e pequenas empresas. 15 entidades participantes, de pelo menos seis setores, apoiam o plano: Aeorum, Antolín, Asti Mobile Robotics, CaixaBank, Delta Vigo, Ficosa, Fisas Navarro, Gestamp, Iberdrola, Lithium Iberia, Mind Caps, Sayer Technologies, SEAT S.A., Sesé e Telefónica.

CUPRA Tavascan, um sonho tornado realidade

Durante a apresentação dos resultados anuais da empresa, Wayne Griffiths anunciou que a CUPRA lançará o Tavascan em 2024. O CUPRA Tavascan será o segundo modelo 100% elétrico da marca, depois do CUPRA Born, que chegará ao mercado ainda este ano.

“O nosso sonho será realizado: o CUPRA Tavascan será uma realidade. Baseado na plataforma MEB do Grupo Volkswagen, será projetado e desenvolvido em Barcelona e chegará à Europa e a outros mercados internacionais em 2024”, explicou Wayne Griffiths.

Este ano, a CUPRA terá um papel importante na condução dos resultados financeiros da empresa. A previsão da CUPRA é duplicar as suas vendas e mais do que duplicar o seu volume de negócios, que em 2020 ascendeu os 900 milhões de euros. O mix da CUPRA passará de 5 a 10% do volume total da empresa.

A CUPRA também abrirá novas portas a países mais eletrificados e a novos mercados. Em 2022, a marca iniciará as operações na Austrália como um passo importante para a expansão na região da Ásia-Pacífico.

“A Austrália é um mercado jovem e a CUPRA é uma marca jovem. Os clientes estão à procura de novas marcas, a classe média do país apresenta altos rendimentos e é uma sociedade progressista. Estamos confiantes de que a CUPRA pode ter sucesso neste país”, disse Wayne Griffiths.

Objetivo: Voltar à rentabilidade em 2021

A COVID-19 interrompeu temporariamente a tendência positiva da SEAT S.A. dos últimos anos e influenciou significativamente os resultados financeiros de 2020(*). A empresa espanhola obteve um resultado operacional de -418 milhões de euros (2019: 352 milhões de euros) e um lucro depois de impostos de -194 milhões de euros (2019: 346 milhões de euros).

Estes resultados já eram esperados, visto que os seus mercados mais importantes, como Espanha, Reino Unido e Itália, foram alguns dos países mais afetados durante a pandemia. As vendas da empresa seguiram a tendência do mercado automóvel global. Apesar dos esforços e dos resultados positivos das vendas quando as restrições foram levantadas, a SEAT S.A. vendeu 427.000 unidades, 25,6% a menos que no ano anterior (2019: 574.100 veículos).

O abrandamento das vendas traduziu-se num menor volume de negócios, que abrandou para 8.784 milhões de euros, menos 21% comprada com o ano anterior (2019: 11.157 milhões de euros). O resultado operacional também foi afetado negativamente pelas despesas relacionadas com as emissões, que ultrapassaram os 260 milhões de euros.

CUPRA chegará à Austrália em 2022 e impulsionará a globalização da empresa

De acordo com o Vice-Presidente Executivo de Finanças e TI da SEAT S.A., Carsten Isensee, “o grande desafio para 2020 era inicialmente a nova meta de emissões de CO2. O impulso para os veículos eletrificados da SEAT e da CUPRA começou no final do ano. Este ano, com os lançamentos do CUPRA Formentor e-HYBRID e do CUPRA Born, esperamos atingir os objetivos de emissões de CO2 para 2021”.

Por sua vez, o presidente da SEAT S.A., Wayne Griffiths, afirmou que “o nosso objetivo é aumentar as vendas e recuperar os nossos volumes para níveis pré-COVID. Em 2021 devemos voltar ao lucro. Este é o nosso objetivo financeiro. Estamos a trabalhar arduamente para obter números positivos o mais rápido possível”.

“As principais alavancas para alcançar a rentabilidade em 2021 vão ser o aumento do mix de PHEV e o lançamento do modelo 100% elétrico, o CUPRA Born, que nos vai permitir atingir as nossas metas de CO2. Além disso, vamos concentrar-nos na redução de despesas gerais e administração de receitas, com foco nos mercados e canais mais importantes”, acrescentou Wayne Griffiths.

Apesar da situação complexa, em 2020 a empresa manteve a sua quota de mercado na Europa como um todo e até a aumentou em mercados como Alemanha, Itália, Áustria, Suíça, Israel e Turquia. Além disso, as margens melhoraram consideravelmente. Os últimos anos refletem uma clara contribuição da ofensiva SUV empreendida pela empresa e também, a partir de 2018, uma boa gestão de preços e receitas, bem como a contribuição chave da CUPRA.

O desempenho da CUPRA foi notável, com 27.400 automóveis vendidos em 2020, atingindo um crescimento de dois dígitos de 11% em comparação 2019, tornando-a uma das poucas marcas a crescer na Europa durante a crise da COVID-19. Desde a criação da marca em 2018 até hoje, a CUPRA já vendeu mais de 70.000 veículos e superou todas as expectativas iniciais.

2020 também produziu resultados positivos. O lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (EBITDA) ascendeu a 157 milhões de euros, com um rácio de 1,8% das vendas. "Este é um indicador de que o nosso negócio é sólido, apesar dos fracos resultados de 2020. Temos as bases para regressar aos números positivos dos últimos anos", sublinhou o Vice-Presidente de Finanças e IT da SEAT S.A. 

A empresa manteve o nível de investimento dos últimos anos, atribuindo mais de mil milhões de euros ao investimento e às despesas de I+D em 2020. Este é o terceiro ano consecutivo com mais de mil milhões de euros investidos. Este nível será mantido num futuro próximo com o plano de investimento de 5 mil milhões de euros até 2025 anunciado em julho passado.

O cash flow atingiu um valor positivo, com 466 milhões de euros gerados em 2020. "Este número representa um feito no contexto da crise económica e sanitária causada pela pandemia e é fundamental para a concretização dos nossos ambiciosos planos estratégicos. Continuamos a preparar-nos para os desafios colocados pela transformação tecnológica do setor automóvel, para o qual devemos manter o ímpeto de investimento dos últimos anos", salientou Carsten Isensee.

Uma empresa forte com duas marcas bem definidas

Com SEAT e CUPRA, a empresa é mais forte e possuí a melhor gama de produtos da sua história para recuperar os números de vendas e regressar à rentabilidade. Este ano, o Formentor será a chave para duplicar o volume de vendas da CUPRA e será responsável por 50% das vendas. Metade dos Formentor serão versões híbridas plug-in. Os renovados SEAT Ibiza e Arona também chegarão ao mercado este na. Dois modelos chave para a SEAT que encarnam o espírito da Marca jovem e cool de Barcelona.

Além disso, SEAT e CUPRA estão também a expandir a gama PHEV, agora com seis modelos: SEAT Leon, SEAT Leon Sportstourer, SEAT Tarraco, CUPRA Leon, CUPRA Leon Sportstourer e CUPRA Formentor. E no final do ano, a CUPRA lançará o primeiro veículo 100% elétrico da marca: o CUPRA Born.

Artigos Relacionados

Test Drive

Test Drive

Configurador

Configurador

Rede SEAT

Rede SEAT

Ofertas

Ofertas

Receber Newsletter

Receber Newsletter