pt:Company:News & Events:Cars:The SEAT Leon: lighting innovation. 2020.20.0.0 PT/PT

Novo SEAT Leon: a evolução através da luz

Desde 1975, o Centro Técnico da SEAT tem desenvolvido toda a tecnologia de iluminação para os modelos SEAT. Para simular condições reais de condução noturna, possui um túnel ótico para testar e validar sistemas que garantam a esses modelos um elevado conforto visual e a máxima segurança possível. Um condutor recebe 90% da informação de condução através da vista. Portanto, a tecnologia de iluminação, tanto para ver melhor como para ser visto por outros utentes da estrada, é um elemento-chave para uma maior segurança no veículo.

Por outro lado, os grupos óticos são um elemento fundamental no design, sendo um dos que atribui ao modelo maior personalidade. A tecnologia de iluminação conheceu um enorme desenvolvimento nas duas últimas décadas, com a introdução de faróis com xénon, de luzes LED e de sistemas de iluminação dinâmica e de assistência. Nascido em 1999, o SEAT Leon tem recebido todos estes sistemas num constante processo de atualização. Na sua mais recente geração elevou a tecnologia de iluminação ao mais alto nível.

Primeira geração: potência e personalidade

O SEAT Leon tem-se destacado no campo da iluminação desde a primeira geração, tanto no seu design como na capacidade de iluminação. O primeiro Leon já estava à frente do seu tempo, com potentes luzes de halogéneo em forma de lágrima e luzes traseiras dominantes que ocupavam grande parte da secção traseira, alinhando-se na largura da porta da bagageira. Para gerar luz tanto no exterior como no interior do habitáculo, foram usadas lâmpadas de filamento, embora nas luzes de médios e de máximos se utilizassem lâmpadas de halogéneo; uma evolução da lâmpada de incandescência com base numa atmosfera de gás inerte com filamento de tungsténio e uma pequena quantidade de elementos do grupo halogéneo, como o iodo e o bromo. Os faróis de halogéneo, com lâmpadas H7, garantiam até 450 lumens de intensidade (fluxo de luz na estrada; em médios) com uma cor de temperatura de luz de 3,200 Kelvin (luz quente ligeiramente mais branca), com um consumo de 55 watts, em médios.

As luzes de nevoeiro faziam parte do equipamento de série, e o condutor podia regular a altura do feixe de luz através de um comando, de forma a evitar o encadeamento dos outros condutores ou de ajustar o maior alcance possível, independentemente da carga colocada no veículo.

Segunda geração: avalanche de tecnologia

Entre 2005 e 2012, o SEAT Leon começou a introduzir novas tecnologias de iluminação num constante processo de evolução e melhoramento. Desde o seu lançamento, permitiu que os clientes pudessem escolher, pela primeira vez, entre a tecnologia de halogéneo e o bi-xénon para os faróis, com lâmpadas de descarga tanto para as funções de médios como de máximos. Esta tecnologia garantia uma maior luminosidade (850 lumens face aos 500 do halogéneo), com 35% de consumo inferior e uma maior duração. A luz mais branca, com uma temperatura de 4,000 graus Kelvin, reduz a fadiga ótica nas viagens noturnas mais longas.

A tecnologia de iluminação é essencial em segurança, tendo melhorado de forma impressionante nas duas últimas décadas através de inúmeras inovações

A tecnologia inclui um dispositivo que regula automática e dinamicamente os faróis. Recorrendo a dois sensores e a uma unidade de controlo eletrónico, a posição do feixe de luz é automaticamente ajustada consoante a carga a bordo e os movimentos de aceleração e de travagem, com um aumento de segurança e evitando o encadeamento dos outros condutores.

Outro melhoramento foi a capacidade das luzes se ativarem automaticamente, permitindo que os condutores se esquecessem de ligá-las à entrada de um túnel ou num parque de estacionamento.

A segunda geração do SEAT Leon oferecia, porém, muitas mais inovações, tais como a iluminação em curva, recorrendo às luzes de nevoeiro dianteiras (disponível depois da atualização intermédia do modelo) ou, em combinação com luzes bi-xénon, a iluminação dinâmica em curva, consistindo em movimentos laterais dos feixes de luz que acompanhavam a direção da estrada. Desta forma, o condutor conseguia detetar o ângulo da curva antes de lá chegar, acrescentando mais segurança e confiança no ato de condução.

Numa constante evolução do modelo, também assistimos à chegada de nova iluminação traseira com tecnologia LED.

Terceira geração: Leon democratiza iluminação Full LED

Em 2012, o Leon distanciou-se da concorrência ao ser o primeiro a oferecer, além dos faróis em halogéneo, faróis Full LED para todas as suas funções. Foi o primeiro modelo da marca a utilizar esta tecnologia, e pela primeira vez assistimos ao uso da característica luz de LED triangular no Leon, um elemento que identifica e caracteriza o fabricante espanhol.

A sua performance luminosa de 600 lumens (fluxo luminoso na estrada; em médios), ficava bem acima do que proporciona o halogéneo, (o número de lumens emitidos por watt consumido é de até cinco vezes superior ao das lâmpadas de descarga). Para mais, garantiam uma temperatura de cor de 5,000 graus Kelvin – uma luz fria muito mais semelhante à luz natural do dia – portanto, não só garantem mais claridade do que as soluções anteriores como ajudam a reduzir fadiga ocular, além de que permitem um controlo mais definido do feixe de luz de forma a não incomodar outros utilizadores da estrada, cobrindo a maior área de superfície possível, aumentando a segurança dos ocupantes e dos outros veículos na estrada.

Outra vantagem da luz LED é a sua longa duração, com um mínimo de 10,000 horas de uso ininterrupto, ou bastante mais, na verdade, excedendo a própria vida útil do automóvel sem precisar de qualquer manutenção.

Os faróis de LED da terceira geração do Leon têm seis díodos emissores de luz para os médios e mais três para os máximos, com um consumo de 20W por farol (médios). Os LED também permitem funcionalidades que não eram possíveis até ao seu surgimento, como conseguir alterar a altura do feixe em antecipação a duas situações, quando ultrapassa os 110km/h por mais de 30 segundos e na troca para luzes médias. Outra vantagem adicional destes faróis LED é a de não utilizarem ventoinhas nos dissipadores de calor, o que reduz o consumo de energia e anula uma fonte de ruído. 

Nesta geração, o Leon também beneficiou de sistemas de assistência à condução, tais como a troca automática entre médios e máximos e de um dispositivo que deteta a presença de outros veículos na estrada através de uma câmara colocada entre o para-brisas e o espelho retrovisor interior; tanto em relação aos que surgem em sentido contrário como os que ultrapassamos no mesmo sentido, de forma a que as luzes não os incomodem.

A terceira geração do Leon incluía fontes de luz traseiras maiores integradas no spoiler traseiro e abrangendo a porta da bagageira e, pela primeira vez neste modelo, com recurso a tecnologia LED. Também incluía luzes de dia com a inconfundível forma triangular que identifica a marca e que também elevam o padrão de qualidade.

Por dentro, a luz ambiente nas portas permitia a escolha de tons entre duas cores (branco ou vermelho) através do “SEAT Drive Profile” e mais tarde, depois da atualização de 2017, entre oito cores.

A iluminação do Novo SEAT Leon mostra o caminho no segmento

A quarta geração do SEAT Leon resultou no mais sofisticado veículo na história da marca. E isto também se reflete na tecnologia de ponta aplicada na iluminação, elevando o LED a um padrão de sofisticação e de eficiência até aqui desconhecidos. Neste modelo, a iluminação com halogéneo desaparece por completo.

O Novo SEAT Leon disponibiliza dois tipos de iluminação dianteira. O padrão LED nos níveis Reference e Style utiliza quatro díodos por farol, produzindo 550 lumens (fluxo de luminosidade na estrada, em médios). De série, nos níveis de equipamento Xcellence e FR, o SEAT Leon recebe faróis dinâmicos Full LED, com até 900 lumens e 11 díodos emissores de luz por módulo, o que garante muito melhor iluminação com maior intensidade e precisão sem encadeamento dos outros veículos.

A iluminação por LED garante uma maior emissão de luz, e maiores possibilidades de onde, quando e como se pretende o feixe de iluminação, além do menor consumo e maior durabilidade. Outro contributo para o incremento da segurança ao volante está no tempo de reação mais curto. Um díodo de LED responde 150 milissegundos mais rapidamente do que uma lâmpada incandescente, o que, quando se conduz a 120 km/h, permite que o condutor que segue atrás de nós percecione as nossas luzes de travagem cinco metros antes. Até os indicadores de direção nos espelhos permitem, graças ao seu funcionamento sequencial, que os outros utilizadores da estrada percebam de forma mais clara para que lado o Leon vai.

A tecnologia LED também permite mais liberdade no design. A traseira do Novo SEAT Leon oferece, nas versões Xcellence e FR, iluminação funcional que liga os grupos óticos a toda a largura do carro, solução denominada "coast to coast".

Ainda assim, o conceito de iluminação no Novo SEAT Leon vai muito mais longe. A saudação "Hola!" é projetada no chão quando as portas são destrancadas, dando as boas-vindas do utilizador ao veículo. Uma vez lá dentro, o ambiente luminoso envolvente pode ser ajustado pelo utilizador em tom e intensidade de iluminação.

Criando uma forma de arco de uma porta à outra através do topo do tablier, esta iluminação ambiente envolve os passageiros e acentua a sensação de espaço. A iluminação interior não foi apenas concebida para aumentar o conforto dos passageiros e para criar um design mais sofisticado, porque também assegura uma importante função de segurança com o sistema Exit Assist. Este sistema, através de alertas luminosos e sonoros, avisa os passageiros da aproximação traseira de veículos quando iniciam a abertura da porta.

Test Drive

Test Drive

Configurador

Configurador

Rede SEAT

Rede SEAT

Ofertas

Ofertas

Receber Newsletter

Receber Newsletter