Partilhar

Martorell, 29/12/2015. – Manobrar uma mota de 170 kg nas dunas do deserto por mais de 10 horas é o desafio para o qual Laia Sanz se está a preparar intensivamente. Juntámos-mos à campeã numa sessão de treino para testemunhar a sua preparação para uma das corridas mais duras- o Dakar.

São 9 da manhã e ela recebe-nos na sua casa em Seva, totalmente envolvida na natureza – um local perfeito para treinar e descontrair: “este é o meu tipo de ambiente; eu nunca me habituaria a trabalhar num escritório fechado”, diz ela com um sorriso rasgado.

Enquanto toma o pequeno-almoço ela conta-nos como começou muito cedo nas corridas motorizadas: “Comecei quando tinha 4 anos porque o meu pai é um grande entusiasta e o meu irmão já tinha uma mota. A minha família sempre me apoiou e nunca fizeram distinção entre mim e o meu irmão. Laia conta que era uma criança muito ativa, e foi por isso que foi tão fácil andar e competir em motas, levando-a para o nono lugar da tabela geral e o primeiro lugar na categoria feminina do Dakar do ano passado.

Laia Sanz faz a mesma rotina todas as manhãs: ela carrega a sua mota no atrelado do seu SEAT Leon X-PERIENCE e conduz até à pista. Pelo caminho ela admite que o seu sonho seria um dia competir no Dakar de carro: “Acredito que todos os pilotos de motas também são bons pilotos de carros. Sou totalmente viciada em tudo o que tem gasolina”.

Laia Sanz treina seis horas por dia, que ela divide entre a pista e o ginásio. As suas sessões de treino são orientadas para “ganhar agressividade e ter controlo total da mota”. Nada pode ser deixado ao acaso: resistência, inteligência e habilidade são pontos fundamentais para ser uma das melhores pilotos de motas do mundo.

A dedicação constante é essencial quando se quer fazer parte da elite em qualquer disciplina. Depois de correr várias horas na pista e aterrar com a sua mota de alturas com mais de dois metros, a Laia anseia por ter uma vida normal. Depois de tirar todo o seu equipamento de competição, o seu objetivo principal é passar a maior parte do tempo com as pessoas de quem mais gosta: “Não é fácil equilibrar tudo. Gosto de manter um estilo de vida saudável – praticar desporto, passar tempo com a minha família e amigos e divertir-me” diz ela enquanto andava ao redor de Vic.

No fim do mês, Laia Sanz e a sua equipa viajarão até à Africa do Sul para um novo desafio. Ela esta sob muita pressão após o excelente resultado do ano passado, mas ela mantém a calma. Brevemente estará montada na mota 10 horas por dia com temperaturas desde os -15º até mais de 40º. Mais uma extenuante corrida para a rainha do deserto.