Partilhar

Martorell, 3/12/2015. – São 9 da manhã e encontramo-nos com Miguel Ángel (“Micky”) na sua casa em Navarcles para passar algum tempo e ver em primeira mão a relação especial que ele tem com a vela, o seu desporto favorito, bem como com o seu SEAT Alhambra. Quando chegamos, Micky está ocupado a carregar o seu carro com todo o seu material – vestuário de vela, velas e também a sua cadeira de rodas; há vários anos atrás ele sofreu uma lesão na espinal medula que o impede de andar.  

Micky defende um estilo de vida ativo onde o desporto tem um papel decisivo para o seu desenvolvimento físico e mental. Ele conta-nos que começou a vela quase por acaso, mas quando experimentou “tudo mudou”. Ele utiliza o seu Alhambra para ir para onde quer navegar e define-o como uma ferramenta necessária para a sua liberdade e independência: “a minha cadeira de rodas e o meu carro são duas ferramentas que utilizo para compensar a minha falta de mobilidade. Uso a cadeira para curtas distâncias e é como se fosse uma parte de mim, mas quando conduzo, o meu carro transforma-se nas minhas pernas”, diz ele enquanto entra para o interior do seu SEAT Alhambra para se dirigir para o L´Escala Yacht Club do qual é membro há vários anos.



Enquanto falamos ele torna claro que é essencial para as pessoas com deficiência praticarem algum desporto; não apenas para estarem em forma, diz Micky, mas também porque “o desporto ajuda-nos a sobreviver no dia-a-dia. Ajuda-nos a melhorar e fazer face aos desafios que a vida nos trás”, explica enquanto se ajeita agilmente na sua cadeira de rodas. De forma a perseguir a sua paixão, Micky encontrou tudo o que precisava no SEAT Alhambra, um veículo que claramente o transporta para todo o lado em segurança: “Este carro faz-nos sentir livres e transmite tranquilidade. Eu sei que posso confiar nele para me levar de norte a sul do país, até sozinho, com todo o meu material de vela; ou ir numa viagem de fim-de-semana com a minha mulher sabendo que a outra forma que tenho para me deslocar para além da minha cadeira de rodas não me irá deixar ficar mal”.

Enquanto nos dirigimos para Girona perguntamos ao Micky relativamente às adaptações do carro e ele conta-nos que são muito subtis, e que há outra coisa que ele adora no SEAT Alhambra, que os controlos manuais para conduzir são muito discretos. Observamo-lo a conduzir confortavelmente e com confiança e percebemos realmente que o seu carro e a sua cadeira de rodas são as suas pernas. Continuamos na nossa viagem a falar da vela e da sensação que temos quando estamos na água: “a primeira vez que experimentei estava um pouco assustado porque quando deixamos a nossa cadeira de rodas para trás parece um pouco como se perdêssemos as nossas pernas. Mas rapidamente tomamos o jeito e a sensação de liberdade que temos no meio da natureza é difícil de descrever.”.

De fora do porto no L´Escala há uma forte ondulação. Alguém inexperiente rapidamente abandonaria a ideia de ir para a água, mas Micky não hesita. Ele deixa a sua cadeira de rodas para trás e iça as velas, mas primeiro deixa-nos com um pensamento para depois se aventurar nas ondas; “Velejar e conduzir são duas sensações de liberdade semelhantes. Uma dá liberdade e independência na água e a outra na estrada”.