Partilhar

Martorell, 09/11/2015.“Quando estou a competir na pista, não existe conversa de géneros. Sou apenas mais um piloto”, diz com determinação a Húngara Edina Bús, uma das cinco mulheres piloto que este ano participam no SEAT Leon Eurocup 2015, a corrida da categoria com o maior número de participantes femininos.

Ela está inserida num desporto dominado por homens, apesar de se notar cada vez mais a presença de mulheres piloto. Ela confessa que ainda hoje, o seu próprio pai lhe pergunta se é mesmo isto que ela quer. Mas a Edina não hesita, apesar de ela se lembrar como foi duro o início quando ela era a única mulher ao volante na linha de partida e focada em “fazer tudo bem”. Agora ela reconhece que “não há desvantagem” em ser mulher.

Estivemos com Edina Bús durante a sessão de treino antes da corrida em Montmeló. A primeira coisa que ela faz quando chega às boxes é cumprimentar a sua equipa totalmente constituída por homens. “Todos os meus engenheiros e mecânicos me apoiam, e isso é o mais importante”, isto sem contar com o facto que “eles são muito duros comigo porque isto não é um jogo – e exige muito esforço”. E pudemos testemunhar quando vimos o descontentamento de um dos engenheiros com os tempos que ela estava a fazer. Ele verifica a sua posição no monitor e admite que “ “ela está a melhorar, mas temos de fazer mais testes.”.


Vestida com o seu fato de corrida, Edina Bús parece igual aos seus adversários. Agora chega o seu momento favorito: ela coloca-se atrás do volante, acelera o motor e “o tempo para”. “Sinto-me poderosa por detrás do volante, livre e altamente motivada”, revela. “Se as mulheres piloto tiverem oportunidade, somos tão capazes de competir eficazmente e alcançar o pódio”, conclui.