A SEAT será a primeira marca de automóveis da Europa a integrar nos seus veículos o serviço de voz interativo Amazon Alexa. Assim foi anunciado pela marca espanhola na abertura do Salão Automóvel de Frankfurt. O serviço interativo controlado por voz ficará disponível no final deste ano nos modelos Leon e Ateca, e no Ibiza, Arona e no SUV de grandes dimensões durante o ano de 2018.

Lançado no mercado em 2014, Amazon Alexa integra-se agora nos automóveis SEAT proporcionando ao condutor a conetividade mais avançada com os 20.000 ‘skills’ incluídos graças ao programa aberto que convida programadores a expandir e a evoluir continuamente as capacidades de Alexa.

O assistente Amazon Alexa, permitirá ao condutor, através de comandos de voz, otimizar o seu tempo passado no automóvel: gerir a agenda pessoal, procurar músicas, localizar pontos de interesse, ouvir notícias em tempo real ou encontrar o concessionário mais próximo, entre outras possibilidades; mas sempre sob um estrito protocolo de privacidade. Na primeira fase de integração, o Alexa fica disponível em inglês e alemão, os dois idiomas contemplados pelo assistente.

“Integrar o Amazon Alexa na nossa gama representa um grande impulso no ecossistema digital e de conetividade dos SEAT e contribui, sem dúvida, para colocar o construtor espanhol na lista da frente do veículo conectado na Europa”, sublinhou Luca de Meo, Presidente da SEAT. Além disso, acrescenta, “a tendência de serviços de voz é cada vez maior e, por isso, queremos que também fique disponível para os nossos clientes.”

“Ficamos contentes que a SEAT incorpore o Alexa nos seus veículos”, partilhou Ned Curic, Vice-Presidente da Amazon Alexa Automotive. “Acreditamos que a voz seja uma grande parte do futuro e especialmente no que diz respeito ao automóvel. Com o toque de um botão no volante, os clientes da SEAT poderão pedir ao assistente Alexa a sua música favorita, as últimas notícias, controlar a sua “casa inteligente” e muito mais”.

Premiere mundial do novo Arona

Amazon Alexa não é a única novidade que a SEAT levará a Frankfurt. O salão automóvel alemão é também o palco de apresentação oficial dos novos modelos da companhia.

Um dos pontos altos da SEAT neste salão será, sem dúvida, a apresentação internacional e o início de comercialização do SEAT Arona, que terá um preço de arranque de 15.990€. O novo SUV compacto, depois do Ibiza, é o segundo automóvel fabricado sobre a plataforma MQB A0 estreada pela SEAT no seio do Grupo Volkswagen. Apresentado em junho deste ano, em Barcelona, e fabricado exclusivamente em Martorell, as primeiras unidades deste Crossover serão entregues aos clientes em novembro.

O SEAT Arona destaca-se pelo seu desenho, grande altura e largura, pelas suas dimensões de crossover compacto, as suas enormes possibilidades de personalização e a tecnologia mais avançada em segurança e conetividade. O crossover compacto dá continuidade à maior ofensiva de produto na história da SEAT depois do Ateca, da atualização do Leon, do novo Ibiza e do novo SUV de 7 lugares que chegará no ano que vem.

A SEAT apresentará em Frankfurt o Digital Cockpit (painel de instrumentos digital), com integração destacada no Arona, no Leon ST CUPRA, no Ibiza e no Ateca. Graças ao novo Digital Cockpit, que chegará no início de 2018, primeiro no Leon e no Ateca, seguidos mais tarde do Ibiza e do Arona, a instrumentação não só ganha um desenho mais moderno e versátil, como também maior funcionalidade. Por último, o sistema de som Beatsaudio, uma marca que reúne energia, emoção e paixão e que mudou a forma com as pessoas ouvem música, já está disponível no Ibiza e no Arona. No final do ano também ficará disponível no Ateca e no Leon.

CUPRA: pronto para passar ao nível seguinte

Além da apresentação do Arona, a SEAT surpreendeu com um exclusivo Leon CUPRA R, o automóvel mais potente da marca em edição limitada a apenas 799 unidades disponíveis no mercado a partir do final de 2017.

Disponível com caixa manual (310 CV) ou DSG (300 CV) – ambas com seis velocidades e tração dianteira -, sobressaem na sua carroçaria os detalhes exclusivos em fibra de carbono nos spoilers dianteiro e traseiro, nas saias laterais e no extrator traseiro. O CUPRA R inclui detalhes em tonalidade cobre nos retrovisores exteriores, nas jantes, guarda-lamas e na secção dianteira com um novo desenho marcado por poderosas entradas de ar.

O CUPRA evoluiu nos seus 20 anos de história com uma linha de automóveis desportivos e de grande performance que conquistou os condutores mais exigentes. Em 2016, por exemplo, as vendas do Leon CUPRA superaram as 9.000 unidades anuais, alcançando assim 2% do total do volume da SEAT. Nos primeiros sete meses de 2017 as vendas deste modelo já superaram as 5.000 unidades e espera-se que cheguem às 10.500 unidades até ao final do ano.

Neste contexto, a SEAT planeia levar o espírito CUPRA para lá do próprio automóvel, criando um universo à volta da marca que inclua experiências únicas com os futuros modelos, merchandising e partnerships. Este novo ‘mundo CUPRA’ incluirá também uma rede específica de concessionários SEAT que terão um espaço diferenciado da marca onde os clientes poderão experimentar os modelos desportivos.

Wayne Griffiths, Vice-presidente Comercial da SEAT, partilhou que “para a SEAT, CUPRA é, desde o início da sua criação, sinónimo de evolução e de inovação numa ligação muito estreita entre as pistas e as estradas”. Griffiths destaca também que “em alguns mercados, como o alemão, o principal para a SEAT e onde os CUPRA têm uma grande aceitação, as vendas perfazem 10% da quota total do modelo Leon. Este resultado incentiva-nos a levar o conceito CUPRA ao nível seguinte”.

Gás Natural Comprimido para o novo Ibiza

Por outro lado, e depois das versões com motor GNC do Leon e do Mii, a SEAT lança um novo modelo com este tipo de alimentação: o novo SEAT Ibiza 1.0 TGI, numa prova incontestável de que a SEAT aposta forte no Gás Natural Comprimido como alternativa de combustível limpo e eficiente.

O GNC combina o melhor de dois mundos, do diesel e da gasolina, já que emite menos 85% de óxido de nitrogénio em comparação com os motores diesel; e ao mesmo tempo reduz em 25% as emissões de CO2 de um motor a gasolina, eliminando ainda a quase totalidade das partículas em suspensão.

O Ibiza 1.0 TGI tem três depósitos, um para gasolina e dois para GNC. Combinados, proporcionam uma autonomia total de 1.200 quilómetros (390 com GNC) e com emissões de CO2 de apenas 88 g/km em modo GNC. O SEAT Arona terá a sua versão a gás comprimido em finais de 2018.